Blog

07/05 Programa de Trainee da Saraiva: inscreva-se ate 31 de maio!



Até 31 de maio os jovens talentos têm a possibilidade de participar do processo seletivo do Programa de Trainee da Saraiva. Uma oportunidade que oferecerá aos escolhidos a possibilidade de fazer parte de uma empresa que está há quase 100 anos no mercado, levando mais cultura, entretenimento, além de inúmeras facilidades aos consumidores brasileiros. E este é o primeiro de outros programas que o Núcleo Soul Jovem do Grupo Veralana abrirá neste ano. Fique atento, acessando www.veralana.com.br/souljovem. Conheça abaixo uma matéria divulgada na Exame.com sobre recente pesquisa realizada pela consultoria Seja Trainee, que indica o que finalistas de programas de trainee têm em comum e aproveite para aumentar suas chances nos processos.

O que os finalistas de programas de trainee têm em comum

Por Camila Pati Pesquisa da consultoria Seja Trainee traça perfil dos candidatos que se deram bem nas seleções. Inglês fluente e estágio estão no currículo da maioria. Na casa dos 20 e poucos anos, aspirantes a trainee enfrentam uma concorrência acirrada até assinarem o contrato com suas empresas dos sonhos. Muitas vezes precisam deixar para trás mais de mil outros candidatos durante as várias etapas dos processos seletivos. É o caso dos aprovados em programas de trainee de empresas como a Heneiken & Mars, Boticário, Mondelez e Unilever, por exemplo, que registraram no ano passado mais de 1.500 jovens concorrendo por cada vaga. Mas o que estes jovens aprovados nos programas mais disputados do Brasil têm em comum? É o que a pesquisa realizada pela consultoria Seja Trainee feita com 380 candidatos, dos quais 316 finalistas, responde a partir do perfil traçado destes jovens. Confira: A maioria estudou em faculdade pública O diploma de uma universidade “top” talvez seja um dos primeiros passos rumo a um programa de trainee dos mais disputados. De acordo com a pesquisa da Seja Trainee, 70% dos entrevistados são de universidades públicas. “A gente nota muitos candidatos de universidade de ponta como USP, Unicamp, Unesp, Federal de Santa Catarina”, diz o sócio da Seja Trainee, Kleber Piedade. Apesar de os processos seletivos levarem em conta características comportamentais, como capacidade de liderança e trabalho em equipe, a questão acadêmica ainda é muito importante para as empresas. “Boa formação é um passo importante para o jovem se tornar trainee” , diz Piedade. Entre os cursos mais comuns entre os entrevistados pela Seja Trainee estão: engenharia (44%), administração de empresas (18%) e economia (11%). Eles falam bem inglês Este é um requisito para se inscrever e que deixa para trás muitos jovens. Ter nível de inglês básico ou intermediário vai minar as suas chances de conquistar uma vaga desde as primeiras etapas da seleção já que a maioria conta com testes de inglês online logo no início do processo. Portanto para chegar a finalista de um processo de trainee é preciso ter domínio avançado ou fluência no idioma. Segundo a pesquisa, esta é uma característica comum a 95% dos entrevistados. “Os candidatos que avançam são aqueles que dominam o inglês”, diz Piedade. Mas não é só isso, outros idiomas também apareceram na pesquisa. “Um ponto interessante é que 28% dos entrevistados falam espanhol em nível avançado ou fluente”, diz o sócio da Seja Trainee. Já fizeram ou fazem estágio Uma experiência profissional pode contar pontos no currículo já que o jovem que faz ou já fez estágio fica mais à vontade em um ambiente corporativo do outro que nunca trabalhou. “O jovem que tem essa bagagem já sabe como funciona uma empresa, a questão da hierarquia, de reuniões, então ele acaba estando mais bem preparado para o mercado”, diz Piedade. Por isso entre os jovens trainees é raro encontrar alguém que ainda nunca tenha cumprido expediente. A pesquisa indica de 92% já fizeram ou fazem estágio. Já tiveram alguma experiência internacional Ter tido a chances de fazer intercâmbio ou cursos em outros países não é um requisito, mas conta pontos a favor do candidato. “Muitos candidatos saem da faculdade e passam um ano fora do Brasil para ter essa vivência, voltar e buscar esse objetivo de ser trainee”, diz Piedade. Muitas empresas oferecem oportunidades para os trainees em solo estrangeiro e esta possibilidade acaba sendo um chamariz para os jovens. Já ter o passaporte carimbado pode trazer uma segurança maior na hora encarar um período trabalhando fora do país. Trabalho voluntário está no currículo Se a responsabilidade social faz parte da agenda das empresas com os programas de trainee mais concorridos, ela também não falta na vida de mais da metade dos candidatos. De acordo com a pesquisa da Seja Trainee, 54% dos entrevistados já fez trabalho voluntário. “A gente nota que eles estão preocupados de forma legítima com impacto deles na sociedade”, diz Piedade. Além disso, a preocupação das empresas com responsabilidade social é também um critério de escolha usado pelos jovens na hora de optar por um programa de trainee. “Este alinhamento de valores tem sido muito importante”, diz Piedade.