Mudanças no RH pós pandemia

A pandemia do novo coronavírus transformou os mais diversos cenários da sociedade. Dentro do empresarial, quase tudo foi parado, modificado, e aos poucos, retornando ao “novo normal”. Está sendo um grande desafio essa readaptação à uma vida normal enquanto uma pandemia toma conta do mundo.

As mudanças da economia, das rotinas, de como lidar com diversas notícias ruins, distanciamento social, acabou afetando a vida de todos. Isso chegou a afetar o âmbito profissional e cabe a cada empresa traçar estratégias para lidar com seus colaboradores.

O setor de Recursos Humanos pode ser um dos maiores aliados na transformação interna de uma empresa, atualmente. As mudanças não são apenas operacionais, mas de como as pessoas estão se portando, agindo e podendo executar as suas tarefas. Podemos esperar algumas estratégias do setor durante essa normalização do período pós pandemia.

Humanização

Mesmo que RH signifique Recursos Humanos, vem se implementando o RH humanizado. Essa é uma tendência que tem se desenvolvido nos últimos tempos. Lidar com os profissionais como pessoas, não como engrenagens de uma máquina, que podem ser descartadas. 

O foco passa da empresa para o colaborador, ele é o centro de tudo. Ter uma boa comunicação, promover confiança e bem-estar, desenvolver planos de carreira, enquanto alinha os valores empresa-funcionário. Esses são os pilares de um RH humanizado.

Tudo isso acaba gerando um ambiente de trabalho mais saudável, aumenta a produtividade, gera mais engajamento da equipe, e melhora o relacionamento interno. Pós pandemia, todas essas “consequências” são mais do que bem-vindas em qualquer empresa.  

Saúde mental do colaborador

Algo que ganhou muito destaque durante e pós pandemia é a saúde mental dos colaboradores. Em um período de muita incerteza, pressão, distanciamento social, o psicológico de muitas pessoas foi afetado. Houve um aumento significativo de pessoas passando por crises de ansiedade, estresse ou depressão.

Isso tudo fez com que esse tópico fosse colocado em foco pela gestão das empresas. Mesmo à distância, algumas implementaram medidas que pudessem ajudar na melhora ou manutenção da saúde mental de seus colaboradores, mesmo home office. A tendência é que as estratégias continuem a valorizar o psicológico dos funcionários, e que abordar assuntos que envolvam doenças e condições psicológicas deixe de ser tabu. 

O RH deve estimular o diálogo como melhor alternativa. Assim como mostrar que, mesmo dentro do espaço profissional, tudo bem discutir sobre o assunto. Isso acaba se integrando com a tendência de humanização. Entender que os colaboradores são pessoas desempenhando funções, e não máquinas. Por isso, estão suscetíveis a tais condições do psicológico. 

Mudanças são necessárias

Todo mundo precisa mudar para evoluir. Às vezes, a mudança não é esperada, e assusta. Inclusive, isso pode estar acontecendo com os colaboradores da empresa em que você está. 

Durante a pandemia, as mudanças geradas causaram desemprego, redução de funcionários, crises, por isso pode acarretar em um sentimento negativo. Cabe ao RH, juntamente da administração, a deixar claro que está tudo bem. E, se não estiver, também deixar claro aos funcionários. 

Cultura organizacional

O pós pandemia traz um cenário de empresas que passaram ou estão passando por uma crise, precisaram parar por um tempo, e agora, precisam retomar o ritmo de produtividade. Para isso, alguns métodos tradicionais precisarão sair de cena, enquanto a inovação se coloca em foco. 

As empresas estão apostando em uma transformação cultural. Segundo uma pesquisa da Korn Ferry, 47% das organizações tem pretensão em encorajar mais abertura, frequência na comunicação com os colaboradores e transparência.

O colaborador passa a ter um processo mais participativo dentro da empresa. Por ser um momento de transição com incertezas, é mais do que necessário que estejam de acordo com os valores e “vistam a camisa” da organização. Essa transformação precisa ser incentivada pela gestão e o setor de Recursos Humanos pode auxiliar. 

Comunicação 

Por mais que pareça clichê, comunicação é a base de tudo. Durante o período de afastamento, a comunicação constante e clara se demonstrou altamente necessária. Por mais que seja algo que já se sabe, esse tipo de comunicação se tornou necessidade e tendência.

Um dos itens destacados na pesquisa da Korn Ferry foi justamente a comunicação. Instituir maneiras de haver uma comunicação interna, que seja tanto para falar quanto para ouvir é necessário.

Por conta de ainda precisarmos seguir protocolos de segurança, como distanciamento, por enquanto podem ser implantado modelos mais digitais. Reuniões semanais à distância, Intranet são exemplos do que pode ser colocado como método de comunicação aberta.

Algo que começou durante a pandemia, também, e pode se mostrar como incentivador à comunicação e a questão da saúde mental é realizar reuniões gerais para falar sobre assuntos diversos, não sobre o trabalho. É um momento de lazer entre os profissionais.    

A Veralana possui mais de 20 anos de experiência com gestão e organização de Recursos Humanos. Temos uma metodologia própria para oferecer e implementar soluções customizadas para o seu negócio. 

Se interessou? Entre em contato conosco para saber mais.


COMPARTILHE ESSE ARTIGO

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email
Share on twitter

Fale Conosco

Tem uma pergunta ou deseja entrar em contato com a gente?
Envie-nos uma mensagem.